Unidade e resistência

Minha reeleição à presidência da UGT-SP redobra a minha disposição para as lutas contra a devastadora onda de ataques desferida pelo governo contra direitos trabalhistas e previdenciários, além das ofensivas ao movimento sindical. Sou grato a mais este voto de confiança manifestado por dirigentes ugetistas paulistas em nosso recente Congresso Estadual, quando discutimos enfrentamentos unitários à proposta governamental para reforma da Previdência, entre outros pontos relacionados ao mundo do trabalho.

Carta de Tupã

A “Carta de Tupã”, assinada naquele 5 de abril deste ano, com aprovação unânime dos mais de 400 delegados, tem norteado o início deste mandato da nova diretoria. As lideranças estão marcando presenças efetivas nas entidades. Estas, por sua vez, têm desenvolvido um trabalho conscientizador junto à classe trabalhadora, principalmente diante das ameaças do fim das aposentadorias no Brasil como anuncia a PEC 6/19, em trâmite no Congresso Nacional.
Por isso, entre conversas sobre a importância da sindicalização, a valorização a manutenção das contribuições sindicais com desconto em folha e a manutenção da nossa unidade, a nova diretoria da UGT-SP reforça a sua oposição à reforma previdenciária. Na prática, este enfrentamento está se potencializando com a coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a PEC 6/19. Nossas resistências ficam ainda mais fortalecidas com a nossa unidade. E, juntamente com as demais Centrais Sindicais, vamos lutar pela geração de empregos formais e, entre outras bandeiras, por um regime previdenciário público, igualitário e sem privilégios.

Luiz Carlos Motta
Presidente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support
Abrir Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos lhe ajudar?