STF recebe nova ação contra trabalho intermitente ajuizada pela CNTC

A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC) ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) uma nova Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), nº 5950, questionando a criação do contrato de trabalho intermitente presente na reforma trabalhista. No processo, a entidade argumenta que o contrato deve ser considerado atípico, ou seja, uma exceção ao contrato formal de trabalho por não prever horário fixo, nem mesmo jornada de trabalho a ser cumprida, seja ela diária, semanal ou mensal.

Este novo modelo de contratação, diz a CNTC na ação, coloca o trabalhador à disposição do patrão, mesmo recebendo somente pelo período efetivo de trabalho, o que leva à precarização do emprego e reduz direitos. Além disso, a ADI mostra que o trabalho intermitente fere o princípio da dignidade humana, por não garantir o salário mínimo e outros pontos que dizem respeito à condição social do trabalhador.

O responsável por relatar a ação é o ministro Edson Fachin, que já está à frente de outras três ações que questionam o mesmo ponto presente na nova legislação trabalhista, as ADIs 5806, 5826 e 5829.

Fonte: Fecomerciários / CNTC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support
Abrir Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos lhe ajudar?